Como classificar a agilidade?

Certa vez um programador de uma equipe que eu estava treinando me perguntou “O que é ser ágil?”. Eu fiquei surpreso que depois de tanto tempo pensando dessa forma eu ainda não sabia como descrever a minha maneira de pensar em poucas palavras. Aqueles segundos correram bem longos na minha cabeça quando finalmente me veio a resposta que eu costumo dar em eventos e palestras. É buscar a excelência no seu campo de domínio, o desenvolvimento de software. Mas isso acendeu uma luz em minha cabeça que precisava de atenção. Foi então que percebi que esse ponto precisava ser melhor trabalhado.

Eu costumava dividir os aspectos da agilidade em dois somente. Existem ferramentas muito ricas para a área de gestão. Gestão de projetos, de processos, de métricas, de fluxo de atividades. Não vou nominar para não ser injusto com nenhum, além do que nem é o meu objetivo aqui. Existem outras que são para o trabalho do desenvolvedor, que eu chamo de arquitetura. Ali temos especialmente as práticas do Extreme programming, a entrega contínua só para citar algumas. Resumindo, no meu entender haviam apenas duas grandes áreas, gestão e arquitetura. Isso atendia bem minhas necessidades e me ajudou a fracionar aquela resposta. Assim, se depois dessa divisão na minha cabeça alguém me perguntasse novamente sobre o que é agilidade eu diria que existem a agilidade para a gestão, que é a melhoria dos processos, reduzindo o tempo de feedback e aprendizado sobre o produto da empresa e existe também a agilidade para desenvolvimento que seriam o conjunto de práticas e ferramentas que usamos para nos permitir atender essa necessidade da gestão.

A parte legal é que sendo ágil, eu posso até criar uma definição que me atende hoje, mas se aprender uma melhor eu não preciso me apegar na minha ideia original. Posso usar a nova com seus devidos créditos, obviamente. Eu vi isso acontecer bem recente no Gathering do Rio de 2015. Participando da sessão de ScrumMaster 3.0 do Rodrigo de Toledo (o cara!) vi que ele, junto com seus amigos/sócios criou uma classificação de Agile em quatro grandes áreas. Isso é certo ou errado? Não sei, mas faz sentido em seu contexto e provalvemente tem funcionado para ele desde então e pode ser que também funcione para você. Basta que você experimente e valide a ideia em seu contexto.

O segredo da agilidade é o seu pensamento. Pensando de maneira ágil e evoluindo esse pensamento conseguiremos chegar à um novo patamar e quem sabe até a um novo pensamento que substitua o ágil. Domine o pensamento ágil a ponto de, um dia, poder criar o seu próprio modelo que atenda as necessidades, sem perder os valores iniciais.

Posted on: 28 de setembro de 2015, by :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *